Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Mundo aos olhos da Joana

O Mundo aos olhos da Joana

Seg | 03.04.17

Dia Mundial da Consciencialização do Autismo

Ontem foi o Dia Mundial da Consciencialização do Autismo e como tal não posso ficar indiferente a tal dia.

Este dia é celebrado para sensibilizar as comunidades para a questão do Autismo. Todos os anos, edifícios e monumentos são iluminados a azul. Em Portugal alguma câmaras aderiram a esta iniciativa (claro que notícias importantes como esta nunca são mostradas, ou muito raramente e são iniciativas como esta que são de louvar, mas isso é tema de outra conversa). 

 

O autismo é dos disturbios mais estigmatizantes que existem. As crianças fisicamente aparentam serem "normais" mas com a convivência percebe-se que existe algo de diferente... Muitas são vistas como mimadas, mal educadas, rebeledes, entre outras coisas. O Autismo é muito complexo, é muito difícil de compreender e de perceber, mas nem estas crianças nem as famílias têm culpa de serem assim. Por norma são crianças muito queridas, cada uma reage da sua forma, é muito complicado lidar com estas crianças e ganhar a sua confiança, mas cada obstáculo ultrapassado é uma pequena vitória.

Os autistas são rotulados de deficientes e a sociedade "desiste" deles. As unidades de ensino estruturado nas escolas são escassas, os professores de educação especial também são poucos, as associações de autistas são praticamente inexistentes e acaboam por serem colocados em instituições de multideficiência que não estão preparadas para eles...Estas crianças necessitavam de mais apoio individual para desenvolverem o seu lado cognitivo. Sabiam que há casos em que, quando bem acompanhados, conseguem ter uma vida independente? Era importante que tal acontecesse com mais crianças, mas acho que o nosso país não está preparado para tal.

 

Vivemos numa sociedade estigmatizadora e excludente, deviamos preocupar-nos mais com a inclusão social...A real inclusão não a farsa da inclusão teórica. É importante não desistir destas crianças, afinal não sabemos quando iremos lidar com eles.

Eu lidei e digo-vos que adorei conhece-los, conversar com eles, e percebi que estas crianças apesar de terem dificuldade na interação social gostam de pessoas, da atenção e do carinho.

A minha ideia sobre o Autismo mudou radicalmente. Eu gostava de poder fazer mais por eles, porque eles fazem parte de nós.

 

Vamos ajudar quem realmente precisa...Não encaremos o Autismo como algo simples e banal, porque não o é!