Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Mundo aos olhos da Joana

O Mundo aos olhos da Joana

Seg | 13.02.17

Crianças Autistas

 

Como tese do meu mestrado decidi abordar o tema "Ser pai/mãe de uma criança autista" focando-me na experiência objectiva, mas essencialmente na subjectiva. Porque ninguém vem ensinado, nem ninguém traz um manual de instruções. O autismo é um tema complexo.

Para tal, necessitei de entrevistar os pais das crianças autistas, mas também professores de educação especial que diariamente lidam com estas crianças. E foi ao entrevistar os professores que lidei de perto com crianças autistas. 

É sabido que pessoas autistas apresentam dificuldade em interagirem-se socialmente e torna-se necessário respeitar o espaço destas pessoas e não forçar a barreira. 

A primeira vez que eu entrei numa das salas destas crianças, elas olharam-me com um ar desconfiado sem perceberem quem eu era e porque motivo ali estava. Alguns ignoraram-me por completo, outros baixaram a cabeça, mas duas crianças olharam para mim e sorriram. E aquele sorriso deu-me uma enorme alegria, saber que aquelas crianças de alguma forma foram carinhosas e simpáticas com uma estranha que ali estava. Na segunda vez que regressei à mesma sala uma das crianças que anteriormente tinha sorrido para mim tomou a iniciativa de se dirigir a mim e criar contacto comigo. Estendeu-me a mão e apresentou-se. Aí fiquei radiante, como era possível aquela criança de livre vontade estar a conversar comigo?? Confesso que nem hoje eu encontro uma resposta para tal, mas jamais irei esquecer aquelas crianças e particularmente aquele míudo que contrariou o dito "normal de um autista" e me veio cumprimentar e apresentar-se. 

Quanto à segunda criança que sorriu, ela nunca falou comigo, mas quando falei com ele, ele apenas sorria, com um enorme sorriso que ia de orelha a orelha e acenava com a cabeça dizendo "sim" ou "não" conforme as perguntas que eu lhe ia fazendo. 

O autismo é muito muito complexo, vai para além de muitas explicações médicas, psicológicas, psiquiatricas que se possam fazer. No geral, autistas apresentam dificuldades de interacção, mas aquelas duas crianças fizeram-no e provaram que "no geral" não é algo que se possa aplicar a todos, provaram que cada caso é um caso e deixaram-me bastante feliz só pelo facto de terem sorrido para mim. 

Quanto aos pais destas crianças, para mim, eles são sem dúvida uns heróis. Lutam pelo melhor dos filhos, mesmo quando têm dificuldade de perceber "o que raio é o autismo?". Valorizo-os imenso pela incansável luta deles. 

Fazer a minha tese sobre este tema, foi um enorme desafio, não foi apenas uma aprendizagem, foi também uma grande LIÇÃO!

 

P.S Já vos disse que adoro crianças?