Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Mundo aos olhos da Joana

O Mundo aos olhos da Joana

Seg | 13.03.17

A questão da violência doméstica

Maioria das vítimas na Casa Abrigo de Bragança regressa aos agressores

 

Violência doméstica é dos temas mais debatidos em Portugal e é (na minha opinião) dos assuntos que continua a dar que falar pela falta de soluções, mesmo que aparente ter imensas.

É sabido que quando uma pessoa sofre violência deve apresentar queixa contra o agressor (ou agressora) e de seguida será encaminhado(a) para uma casa de abrigo. A queixa será investigada indo o agressor a tribunal, depois disso é-lhe aplicada uma pena, ou não, conforme provas e conforme o que em tribunal for dito. 

Ora para mim isto já está mal desde ínicio...Porque raio tem que ser a vítima a sair de casa e ir para uma casa de abrigo (fora da sua localidade), como se fossem toxicodependentes ou alcóolicos em clínicas de recuperação? São vítimas, não me parece que esta seja uma solução fantástica (se fosse não havia tantas vítimas a sair das casas de abrigo e regressarem ao agressor). 

Infelizmente não tenho nenhuma solução fantástica para tal, mas seria importante que uma equipa multidisciplinar se sentasse à volta de uma mesa e debatessem o assunto até encontrar uma solução eficaz. Não me parece justo que seja a vítima que tenha que sair de casa para sua própria segurança. 

Vi esta notícia e fiquei incrédula com o que li. Tiveram casos de sucesso, nomeadamente uma senhora da zona do Porto que acabou por ficar em Bragança a trabalhar...Ora não chega terem que ir para casas de abrigo fora da localidade e ainda acabam por ficar a viver nessa mesma localidade sozinhas quando a sua família está noutra. Realmente é de ficar de boca aberta (eu pelo menos fico).

 

Sabiam que quando a vitima apresenta queixa espera meses para que seja feita justiça? É verdade, até que haja resposta estão meses à espera... É importante que se haja com maior rapidez, é importante educar e mudar mentalidades das vítimas (e dos agressores também). Ficam chocados por saber que as vítimas voltam para os agressores? Eu não, porque a violência é um ciclo, ora estão numa fase boa, ora sofrem violência, os agressores vão pedir desculpa e voltam à fase boa e assim sucessivamente. Muitas são economicamente dependentes dos agressores (isto mais no caso das mulheres), e por esse mesmo motivo não os deixam, outras por terem filhos e acharem que é melhor "aguentar" por causa das crianças, outras por gostarem dos agressores e acharem que talvez um dia eles possam mudar... São inúmeras as razões e não nos cabe críticar, mas sim tentar mudar a situação.

 

Muitos passos já foram dados, a violência antes era vista como normal - "entre marido e mulher nao se mete a colher". Hoje já é vista como um crime público, mas ainda há muito por fazer, não considero que as soluções existentes sejam as mais eficazes, considero antes, que é necessário repensar em novas soluções, para o bem de todos.

 

Digam NÃO à Violência Doméstica!

2 comentários

Comentar post